Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As Crónicas da Vítima

As Crónicas da Vítima

52 Semanas de 2022 | Livro Favorito

28.02.22 | Bruno

"A noite passada, sonhei que regressava a Manderley..."

Esta é a frase com que se inicia o meu livro favorito, "Rebecca" de Daphne du Maurier. "Rebecca" é a história de uma jovem criada de companhia que acompanha uma velha senhora rica num hotel, durante umas férias, onde conhece o viúvo Max de Winter, por quem se apaixona e com quem vem a casar-se. Após o casamento e um lua de mel, a jovem e insegura esposa vai conhecer a imponente mansão de Manderley, da qual é a nova proprietária, mas não é assim que sente. Em toda a mansão, desde a decoração aos trabalhos no jardim, paira o fantasma de Rebecca, que, no decorrer do livro, parece que aparecerá para tomar a casa que lhe pertencia.

O livro é contado na primeira pessoa, o que nos leva a, em certas alturas, sentirmo-nos a personagem principal do mesmo. Todo o ambiente sombrio da mansão, a preocupação e o nervosismo da juventude dessa personagem, que é, juntamente com o espectro de Rebecca, a personagem principal, penetram na nossa alma enquanto o lemos.

"Rebecca" tornou-se o meu livre favorito por um mero acaso: nos livros que ficaram do meu falecido pai, que duvido que os tenha lido, encontrava-se "Rebecca" com um outro conto que li apenas uma vez, das colecções do Reader's Digest. Li "Rebecca" muitas, muitas vezes e, de tempos a tempos, regresso à mansão de Manderley para ver se mudou alguma coisa. Continua tudo na mesma e é bom que assim seja, embora, a cada leitura, se descubra um detalhe no qual não se havia reparado antes.

Texto no âmbito do Desafio da Abelha em "52 semanas de 2022".

 

Agora que já mencionei o meu livro favorito, espero que não se importem que escreva sobre outros livros de que gosto bastante e que, sabendo que o favoritismo  pode apenas recair sobre um, figuram entre outros livros de que gosto imenso.

Enid Blyton, autora de livors como "Os Cinco", escreveu uma colecção de livros d´"As Gémeas", que retrata o dia a dia de duas irmãs gémeas num colégio interno na ruralidade de Inglaterra. Sem exagerar, já li esses seis livros mais de cem vezes, chegando a recomeçar o primeiro, assim que terminava o último;

Paulo Coelho escreveu muitos e vários livros. Sei que há uns quantos que são os mais famosos, sendo esses mesmo que ainda não li. Entre eles, conta-se "O Demónio e a Senhorita Prym", que retrata a chegada de um estrangeiro a uma pacata e decadente vila (ou aldeia?), sem que ninguém desconfie de que esse estrangeiro é o Demónio e traz-lhes uma proposta que poderá vir a alterar a vida desta mesma pacata vila e de todos os seus habitantes. Paulo Coelho escreveu, também, "A Bruxa de Portobello", que é a recolha de vários testumenhos centrados à volta de uma mulher: a bruxa Athena. Athena conhece vários mestres desde pequena e evolui espiritualmente, ao ponto de questionar a sua fé e encontrar Deus através dos seus rituais de dança. Qualquer um destes livros é excelente e merece uma leitura. Ou vinte. Ou cem;

Li um livro que é a busca da autora pela sua irmã, morta, que sofria de esquizofrenia. A irmã perdera o contacto com a irmã havia vários anos, que, apesar de bastante debilitada pela doença, conseguia ser independente, até que recebe a notícia de que a mesma havia morrido. Trata de ir fazer a limpeza do apartamento da irmã e colecciona vários testemunhos das pessoas que com ela privaram e que gostavam dela, chegando mesmo a marcar várias reuniões com as pessoas. A autora assume que escreveu o livro para as filhas, para que, na ausência dessa tia que a doença levou de toda a família bastante cedo, possam assim conhecê-la e amá-la quando crescerem, souberem e quiserem ler o livro. De momento, não me recordo do nome do livro, nem da autora, mas, se me lembrar, procurarei para poder adicionar a este texto.

Há muitos livros mais que li e a que devoto carinhos especiais. Há outros que li, alguns que foram verdadeiros campeões de vendas e que, sinceramente, demorei mais tempo a ler do que demoro a ler "Os Maias", que, francamente, adoro e ia-me esquecendo de adicionar aos meus livros favoritos. como foi o caso do último livro da saga "Crepúsculo" - acho que essa saga foi escrita para excitar adolescentes e pouco mais. Mas é mais ou menos isto. Claro que, conhecendo-me como me conheço, ao longo da existência deste blog, irei escrever e mencionar outros livros que vou lendo.

Obrigado!

3 comentários

Comentar post